Home

Este post vai em resposta aos leitores do “O que nós ganhamos quando a televisão saiu de cena” que pediram por dados científicos. O texto abaixo foi escrito pela Cris Rowan, Terapeuta Ocupacional Pediátrica e conta com vários resultados de pesquisas científicas feitas nos Estados Unidos e Canadá.

Aqui em casa vai continuar valendo o resultado da pesquisa: Com a tv eles ficam mais excitados, mais desobedientes, preguiçosos, sem a menor vontade de fazer outra coisa. Sem a tv eles correm, brincam, brigam, conversam, comem na mesa, pintam e criam suas próprias histórias. Independente do tamanho da necessidade do empurrãzinho que você precisa para tirar esses intrusos da sua família, as informações são de utilidade pública. Espero que aprecie minha tradução. ; )

Post publicado no Huffington Post no dia 06 de Março de 2014

10 razões pelas quais dispositivos portáteis devem ser proibidos para crianças com idade inferior a 12 anos.

A Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Canadense de Pediatria atestam que bebês na idade entre 0 a 2 anos não devem ter qualquer exposição à tecnologia, crianças de 3-5 anos devem ter acesso restrito a uma hora por dia e crianças de 6-18 anos devem ter acesso restrito a 2 horas por dia (Fonte: AAP 2001/13 , o CPS 2010). Acontece que hoje as crianças e jovens usam a tecnologia em quantidade de 4 a 5 vezes maior do que esta recomendada, o que está resultando em consequências graves e ameaças vitais. (Fonte: Kaiser Foundation 2010 , Active Healthy Kids Canada 2012).

Os dispositivos portáteis (celulares, tablets, jogos eletrônicos) têm aumentado dramaticamente o acesso e uso à tecnologia, especialmente por crianças muito jovens (Fonte: Common Sense Media, 2013 ). Como terapeuta ocupacional pediátrica, estou convidando os pais, os professores e os governos a proibir o uso de todos os dispositivos portáteis para crianças com idade inferior a 12 anos.

A seguir estão 10 razões baseadas em pesquisa para essa proibição. Para ter acesso às referências da pesquisa, por favor visite zonein.ca para ver o Zone’in Fact Sheet.

1 . Crescimento rápido do cérebro           

Entre 0 e 2 anos, o cérebro da criança triplica de tamanho e continua em estado de rápido desenvolvimento até os 21 anos de idade (Fonte: Christakis de 2011). O desenvolvimento inicial do cérebro é determinado por estímulos ambientais ou pela falta dele. O estímulo a um desenvolvimento cerebral causado por exposição excessiva a tecnologias (celulares, internet, iPads, TV) foi mostrado afetar negativamente o funcionamento e causar déficit de atenção, atrasos cognitivos, aprendizagem deficiente, aumento da impulsividade e diminuição da capacidade de auto-regular, exemplo: birras (Fonte: Small 2008, Pagini 2010) .

2 . Atraso no desenvolvimento

O uso da tecnologia restringe o movimento, o que pode resultar em atraso de desenvolvimento. Uma em cada três crianças agora entram na escola com atraso de desenvolvimento, impactando negativamente a alfabetização e o desempenho acadêmico (Help EDI Maps 2013). O movimento aumenta a atenção e a capacidade de aprendizagem (Fonte: Ratey 2008). Com isso, o uso de tecnologia por crianças com idade inferior a 12 anos é prejudicial ao desenvolvimento da criança e da aprendizagem (Fonte: Rowan 2010).

3 . Epidemia de obesidade           

O uso de TV e vídeo game está correlacionado com o aumento da obesidade (Fonte: Tremblay, 2005). As crianças que possuem dispositivos eletrônicos em seus quartos têm 30% de aumento na incidência de obesidade (Fonte: Feng 2011). Um em cada quatro canadenses e uma em cada três crianças americanas são obesas (Fonte: Tremblay 2011). 30% das crianças com obesidade irão desenvolver diabetes e os indivíduos obesos têm maior risco de acidente vascular cerebral e ataque cardíaco precoce, encurtando gravemente a expectativa de vida (Fonte: Center for Disease Control and Prevention 2010). Em grande parte devido à obesidade, crianças do século 21 podem ser a primeira geração onde muitos não vão viver mais que seus pais (Fonte: Professor Andrew Prentice, BBC News, 2002).

4 . Privação do sono           

60% dos pais não supervisionam o uso de tecnologia de seus filhos e 75% das crianças estão autorizadas a ter tecnologia em seus quartos (Kaiser Fundation 2010). 75% das crianças com idade entre 9 e 10 anos são privados de sono e como consequência, suas notas na escola são negativamente impactadas (Boston College 2012).

5 . Doença Mental           

O uso excessivo de tecnologia está implicado como a principal causa das taxas crescentes de depressão infantil, ansiedade, transtorno de apego, déficit de atenção, autismo, transtorno bipolar, psicose e comportamento infantil problemático (Bristol University 2010, Mentzoni 2011, Shin 2011, Liberatore 2011, Robinson 2008). Uma em cada seis crianças canadenses têm uma doença mental diagnosticada, muitas das quais estão em uso de medicação psicotrópica perigosa (Waddell 2007).

6 . Agressão

Conteúdo de mídia violento pode causar agressividade infantil (Anderson, 2007). As crianças estão cada vez mais expostas à crescente incidência de violência física e sexual na mídia de hoje. “Grand Theft Auto V” retrata sexo explícito, assassinato, estupro, tortura e mutilação, como fazem muitos filmes e programas de TV. Os EUA classificou a violência na mídia como um risco à saúde pública devido ao impacto causal sobre a agressão infantil (Huesmann 2007). A imprensa registra aumento do uso de quartos de isolamento com crianças que apresentam agressividade descontrolada.

7 . Demência digital

Conteúdo de mídia de alta velocidade pode contribuir para o déficit de atenção, bem como a diminuição da concentração e da memória, devido ao cérebro eliminar trilhas neuronais no córtex frontal (Christakis 2004 Pequeno 2008). Crianças que não conseguem prestar atenção não podem aprender.

8 . Vícios           

Como os pais ficam cada vez mais presos à tecnologia, eles estão se desapegando de seus filhos. Na ausência de apego dos pais, as crianças separadas podem se conectar a dispositivos, o que pode resultar em dependência (Rowan 2010). Uma em cada 11 crianças com idades entre 8-18 anos são viciadas em tecnologia (Gentile 2009) .

9 . Emissão de radiação

Em maio de 2011, a Organização Mundial de Saúde classificou os telefones celulares (e outros dispositivos sem fio) como um risco categoria 2B (possível cancerígeno), devido à emissão de radiação (WHO 2011). James McNamee com a Health Canada, em outubro de 2011, emitiu um aviso de advertência dizendo: “As crianças são mais sensíveis do que os adultos a uma variedade de agentes – como seus cérebros e sistemas imunológicos ainda estão em desenvolvimento – então você não pode dizer que o risco seria igual para um jovem adulto quanto é para uma criança”. (Globe and Mail de 2011). Em dezembro de 2013 o Dr. Anthony Miller, da Universidade da Escola de Saúde Pública de Toronto recomendou que, com base em novas pesquisas, a exposição à radiofrequência deve ser reclassificado como 2A (provável cancerígeno) e não um 2B (possível cancerígeno) . A Academia Americana de Pediatria pediu revisão das emissões de radiação electromagnéticas dos dispositivos de tecnologia citando três razões quanto ao impacto sobre as crianças (AAP 2013 ) .

10 . Insustentável           

As maneiras pelas quais as crianças são criadas e educadas com a tecnologia já não são sustentáveis ​​(Rowan 2010). As crianças são o nosso futuro, mas não há futuro para as crianças com overdose de tecnologia. Cuidar disso é urgente, necessário e precisamos fazer em conjunto, a fim de reduzir o uso de tecnologia por crianças. Por favor, assista e compartilhe os vídeos sobre o uso excessivo de tecnologia por crianças. Em http://www.zonein.ca

Veja abaixo, o Guia de Uso de Tecnologia para crianças e jovens desenvolvido por Cris Rowan, terapeuta ocupacional pediátrica e autora do Virtual Child (Criança Virtual); Dr. Andrew Doan, neurocientista e autor de Hooked on Games e Dr. Hilarie Caixa, Diretor do reSTART Internet Addiction Recovery Program (Programa de Recuperação de Dependência à Internet) e autor de Video Games and Your Kids, com a contribuição da Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Canadense de Pediatria, em um esforço para garantir um futuro sustentável para todas as crianças.

Guia de Uso da Tecnologia para Crianças e Jovens

Image

Para informações adicionais, entre em contato (em inglês) com Cris Rowan em info@zonein.ca.

Siga Cris Rowan no Twitter: www.twitter.com/zoneinprograms

E ai? Gostou? Que tal dar uma chance para os brinquedos do armário, para os amigos e, por que não, para o papel em branco? Aposto que vão sair histórias muito mais cheias de finais felizes.

Por Cris Leão

123 pensamentos em “10 razões para se proibir tecnologia para crianças

  1. Extremismo nunca é bom, e crianças não gostam de serem diferentes de seus “amiguinhos”. Deixar a criança usar a Internet sem supervisão é muito mais problemático do que um jogo de video-game.

  2. Pingback: Está na hora da brincadeira! Com ou sem tecnologia? | Pequeno Sustentável

    • É uma pena que muitas pessoas não queiram ver o mal que esses aparelhos fazem às nossas crianças, inibindo sua criatividade com produtos prontos. É muito mais fácil deixar a criança assistindo a um programa de televisão do que ler livros, contar histórias, deixar que criem suas próprias brincadeiras. Feliz daquele que consegue o equilíbrio!

      • verdade… meu filho com 10 anos simplesmente não tem interesse por nada isso que a 2 meses foi tirado o celular dele e proibido a jogos n computador e com horarios para jogar play. fiquei assustada quando pedido para criar uma história na escola ele simplesmente não teve criatividade.

      • Pois é, Josi… Isso é muito triste… Tenho um sobrinho de 13 anos que também está sempre em frente a uma tela. Ele,até os 10, 11 anos gostava mais de ler e leu alguns livros de aventura mas hoje em dia não tem muito interesse pela leitura.
        Um domingo desses pedi para ele inventar uma historia para minha filha de dois anos, expliquei que ele deveria tentar usar uma linguagem mais infantil para que ela pudesse entender. E ele começou a história e foi desenvolvendo personagens e acontecimentos e etc… Sei que ele inventou uma história muito legal.
        Mas e ai? Me pergunto qual estímulo que as crianças de hoje tem para desenvolverem essas habilidades? Seja na escola ou em casa… Infelizmente não há estímulos.
        Na minha opinião as escolas deveriam incentivar a leitura de acordo com o gosto da criança. Para que ela seja apresentada à leitura de uma forma prazerosa e não tenha isso como obrigação: Ah tenho que estudar esse livro para fazer tal prova.
        Deveriam fazer feiras e convidar autores. Apresentar histórias de autores mirins… Incentivar que a criança escreva seu próprio livro… e por ai vai…

  3. Difícil educar crianças tendo pais tão permissivos, se todos os coleguinhas fumarem seu filho tem q fumar tbm pra não ser diferente? Hj é fácil criar filhos a base de TV e tecnologias, tdo para os pais não terem o trabalho de ensinar, joga a responsabilidade de ensinos para as escolas, TVs, tecnologias. Se acomodaram e ficam buscando justificativas em texto com o não reconhecimento científico. Esses argumentos cansa qualquer um, tdo isso é medo do novo e do trabalho q pode dar.

  4. a tecnologia tem as suas vantagens,mas tambem tem as suas desvantagens.as crianças pequenas devem brincar ,pintar,correr saltar, e nao estarem frente a televisoes,tablets. tenho um filho com 4anos que sempre brincou com tecnologia,ate ha pouco tempo ele tinha um tablet cheio de jogos para ele brincar,via tv quando queria, e esta com um atraso na linguagem.tirei-lhe o tablet,impus 1hora de tv por dia,e a diferença é enorme.esta cada vez mais desenvolvido..nao entreguem os vossos filhos ha tv.ps3 ou ps4,,,brinquem com eles na rua,pintem com eles,

    • estou com uma filha de 3 anos com a mesma situacao. ontem tirei todos os tablets e celulares de casa e fomos brincar.. hoje de manha ela me falou: mamae eu adorei bincar com vc ontem. juro que chorei copiosamente. abracei ela beijei.. senti como um apelo, um socorro. muitas vezes era pratico pra mim deixar um tablet nao mao dela enquanto eu terminava um trbalho, porem na escola minha filha apresentava distracao e dispensao.

  5. Olha, tem um negócio aí que fala sobre sobre déficit de atenção. Cientistas comprovaram que quem joga muitos jogos de estratégia e coisas desse tipo deixa o cérebro mais rápido e desenvolvido. Eu mesmo jogo no computador desde os 4 ou 5 anos e nunca tive déficit de atenção. Tudo bem eu ser um pouco gordinho, mas eu sempre tiro notas boas na escola, e algumas dessas coisas não estão corretas.

  6. Eu realmente achei este post muito exagerado.
    Eu, atualmente, tenho 13 anos, e sou considerada como adulta pela grande maioria das pessoas pelo fato de eu ser autodidata, muito inteligente e ter um nível de maturidade e responsabilidade muito alto.
    Provavelmente sou muito mais capaz que muitos adultos por aí.
    Estava pesquisando sobre modos de educação com crianças e esse foi um dos posts mais… Bizarros que eu achei.
    Concordo que crianças de 0 a 2 anos de idade não deve ter acesso à tecnologia, mas o resto?
    Na minha opinião, ADOLESCENTES de 13 a 18 anos deveriam ter acesso ilimitado a internet. Com ilimitado, gostaria de acrescentar (e explicar) que os pais devem falar com eles sobre esse assunto e dizer que não podem ficar na internet o dia inteiro. Limites devem ser usados caso ele não entenda isso.
    Não ache que seu filho ou filha de 12 anos para cima não sabe de nada, pois você está enganado.

  7. Republicou isso em A infância digitale comentado:
    Gente,
    Sabe que todos os dias fico surpresa com a velocidade do crescimento das crianças e a facilidade de aprender a manusear aparelhos tecnológicos.

    Há pelo menos 15 anos atrás o bebê nascia com os olhos fechados e demorava pelo menos 1 semana pra abrir, hoje, nasce com os abertos e bem espertinho, com 5 meses já presta atenção no desenho da Peppa Pig….rsrsrsrs!

    A partir daí, fica a reflexão: Com que idade devemos apresentar a TV a uma criança, meus filhos adoram assistir desenho e durante este momento de entretenimento aproveito para fazer outras coisas em casa.

    Com que idade presentear nossas crianças com um tablet ou simplesmente deixar brincar com o smartphone, você já imaginou que durante este momento podemos estar prejudicando a criança, pois é.

  8. É normal falarem da tecnologia como vilã. Tem muitas coisas boas que se pode aprender com tecnologia. Quando eu era criança criei sites sobre assuntos da escola e sobre desenhos que eu gostava. Hoje sou mãe e trabalho online. Sou muito grata à isso pois é um trabalho que me permite estar 24hs com meu filho. Ele deve seguir o caminho da mãe? Eu acho que sim! Eu tinha tempo e vontade para brincar dentro de casa e fora dela. Criança saudável sempre quer fazer de tudo um pouco, tem muita curiosidade. Não tentem proibir nada e sim trazer atividades e propostas pras crianças!

  9. Na nossa opinião a Internet desde que veio para beneficiar os usuários ele se torna útil ou vulneral. No nosso mundo, claro que temos pessoas ruins e que irão fazer daquele artificio algo inútil. Não achamos que deveria proibir, mas sempre aconselha-los. Afinal não serão crianças para sempre.

  10. Engraçado que artigos científicos apontam os jogos eletrônicos como uma ótima ferramenta pedagógica às crianças; obvio que cabe aos pais saber dosar o uso.

  11. Importante esse esclarecimento às pessoas, porque elas acham graça quando dão o celular e o tablet para as crianças, e elas aprendem rapidamente a manipular esses recursos tecnológicos. No entanto, a prática constante no uso desses equipamentos estão privando as crianças de um desenvolvimento sadio, que requer percepção direta do mundo e convivência com as pessoas reais, assim como de atividades físicas, para que seus cérebros se desenvolvam. Um menino dependente de jogos eletrônicos, num atendimento terapêutico, me disse que mesmo que o pai tenha “sequestrado” seu celular para que não jogasse, ele continuava jogando. Contou que via as imagens do jogo quando ia dormir e assim continuava jogando no pensamento. Era uma forma virtual da mente manter aquele tipo de atividade à qual estava acostumada, mesmo sem a presença do equipamento. Então, experimentei jogar durante várias horas, por vários dias, o jogo e constatei que as figurinhas do jogo me apareciam na mente com frequência, como se me convidassem a jogar novamente. Foi preciso muita determinação para conseguir jogar apenas uma vez e parar, porque a tendência era continuar insistindo, insistindo. Não importava se eu perdia ou se eu ganhava, porque insistir na repetição me trazia uma sensação de superação, que eu desejaria ter em outras áreas da vida. Eu esquecia de tudo quando estava jogando, e pude entender o que acontece com a mente das crianças, que são ainda mais vulneráveis do que os adultos aos jogos eletrônicos. Também tenho visto crianças brincando de atirar nos outros, simulando situações de tiro que observam nos joguinhos. Essa é uma forma dos jogos treinarem futuros atiradores, que poderão reproduzir esse comportamento na vida real, o que é lastimável.

  12. Quem parece ter demência mental são vcs adulto porque a tecnologia é uma coisa que n se para ela é constante e a tecnologia foi essencial para a cura de doenças sem ela a expectativa de vida dás pessoas ainda seria de 40 anos,eu tenho 12 anos e passo boa parte do meu tempo na internet e nem por isso tenho doença,eu acho que quem tem doença são vocês

  13. Posso ver pelo menos 8 desses comportamentos nitidamente em meu filho de 6 anos. Ele mesmo diz que tem extrema dificuldade de prestar atenção e se concentrar. Tem dado trabalho equilibrar esse aprendizado com limites no uso das tecnologias disponíveis. Mas não desisto. E não permito o uso indiscriminado dos dispositivos. Hj li este texto para ele entender porque eu não deixo ele ficar todo o tempo que ele gostaria com os eletrônicos. Acho que entendeu pq se identificou com os pontos e ficou surpreso que essa é a fonte disso. Para mim, e como dizer o óbvio. Essas crianças podem mais!!! Mas o caminho está em ensinar com amor e não permitir que a infância deles seja roubada pela tv ou joguinhos eletrônicos.

  14. Tenho uma vida muito corrida e tenho uma menina de 2 anos e 6 meses e ela passava boa parte do tempo no celular…e hj ela ta com atraso na fala…n se socializa…a pediatra suapeita do deficit de atençao ou autismo…pediu para colocar na escola e tirar o celular…encaminhou para o neuro e fono.

  15. Muito importante esse estudo!! Mas além de limitar é supervisionar as crianças e adolescentes os pais devem DAR O EXEMPLO! Uma criança não vai querer saber o q tem de tão interessante na tela de um smartphone ou tablet, etc, se seus pais não ficam 24 horas grudados na tecnologia! Eh o velho ditado do “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”… A desintoxicação tem que começar pelos adultos, que já estão em sua grande maioria, viciados e nem se dão conta… Nota-se o grau de raciocínio e inteligência até por certos comentários aqui… As pessoas perderam o hábito de pensar de forma crítica, de refletir, de ler… A facilidade e o pensamento massificante tomou conta… Cuidado!! Muito cuidado!!

  16. Devemos inserir atividades no dia a dia da criança nao e so deixa-la sem fazer nada , ai que mora a dificuldade pois precisa de dinheiro e tempo rua nem pensar ,por isso na maioria das vezes nos pais optamos pela tv o outra tecnologia, a tentei achar programas socias gratuitos de aula de musica , quem disse que consigue?Ah e lembrando que deus independe de religiao como grupo de jovens tambem eh muito boommmm, ja me ajudou muito

  17. O texto traz dados científicos, mas alguns “adultos” insistem em contestar usando senso comum e achismo. Fazer o quê? Vejo na rua pais que ignoram seus filhos, enquanto as crianças fazem gracinhas pedindo por atenção (atitude normal de criança), mas seus pais estão muito ocupados…com uma tela de celular e ignorando a presença dos filhos (ainda que seja por 3 minutos)…e para quê? Para produzir algo de útil? Para planejar o futuro da família? Para tentar encontrar soluções para os problemas familiares ou financeiros? Não, torram o tempo (que é escasso e valioso) para ficarem lendo sobre a vida alheia, vendo fotos glamourosas editadas e com muitos filtros…para no fim das contas ainda se sentirem deprimidos porque a vida dos outros é melhor. Enquanto isso a sua vida está passando diante dos seus olhos…os filhos crescendo. O ignorado de hoje, irá ignorá-los amanhã. Não me admira o tanto de transtornos mentais e psicopatia que se vê atualmente em jovens…uma geração perdida, que se acha muito esperta porque consegue buscar alguma coisa nos buscadores, mas é incapaz de filtrar e compreender questões mais complexas (ainda que de acordo com a idade), até mesmo a manipulação da mídia e das ideologiazinhas em voga e o perigo da excessiva auto exposição online. Só sei que o tempo não pára, O TEMPO NÃO VOLTA!!! E um dia ao abrirem os olhos verão adultos que vocês não entendem porque agem assim. Aos que duvidam, lanço um desafio: como vc se sentiria ao conversar com seu marido sobre algo importante e ele ignorasse sua presença e enquanto vc pedisse atenção, ele ficasse lendo um jornal ou uma revista? Quantas são as mulheres que se queixam pq seus maridos não as notam, ou não as ouvem porque estão muito concentrados no futebol ou luta. Agora, imaginem uma criança que ainda não tem uma estrutura emocional pra lidar com isso (ainda que vc julgue-a madura, que seja capaz de falar alemão fluentemente, lembrem-se cognitivo e emocional nem sempre amadurecem ao mesmo tempo) imaginem ter de lidar com as emoções causadas por esse tipo de “rejeição”? Ignorar uma criança – não olhando nos olhos quando esta lhe fala – é algo muito grave, com danos graves ao desenvolvimento emocional e às relações futuras desses pequenos…
    Em tempo: Bill Gates, Steve Jobs e outros desse meio de tecologia não deixam/deixaram seus filhos usar tablets/ipads e smatphones até uma certa idade, atitude que deixaria muitos pais perplexos, achando um exagero essa proibição. Acho que eles sabem/sabiam das coisas…

    • E você já leu esse artigo que contesta? É uma bobagem! Eles falam, bem tal pesquisa não falou sobre tecnologia, foi sobre televisão. hã? Outro ponto: bom, tal pesquisa não tem como objetivo criticar a tecnologia, mas dizer que os pais precisam ficar mais presentes e que os filhos precisam fazer atividade física. Aí eu te pergunto: uma coisa não está mesmo relacionada a outra? Enfim, verdades existem muitas. Cada um acredita naquela que convém.

  18. Existem várias pesquisas sobre os prejuízos causados pelo excesso de exposição e diga-se, cada vez mais precoce de crianças e adolescentes aos meios eletrônicos, inclusive muitos adultos encontram-se viciados nesses recursos e realizam tratamentos.
    Agora chocou-me associar a exposição excessiva às tecnologias ao número crescente de autismo infantil.
    Sabe-se que é um distúrbio do desenvolvimento com alterações neurobiológicas, inclusive com fortes componentes genéticos.
    É provável que exposição precoce e excessiva à jogos eletrônicos pode ocasionar vários prejuízos à saúde das crianças, mas por acaso tem alguma comprovação científica para se fazer uma afirmação dessa natureza, ou seja, associá-la à casos de autismo?
    Sandra Bento.

  19. O que fico em crise é ver o quanto muitos dos que se intitulam maiores em sua menor idade esculhambarem os adultos com palavras de merda e outros. Incrível como é difícil ser sábio em meio a tantos que se julgam maiores e melhores do que os adultos.

  20. Acho no mínimo assustador a quantidade de “pais e mães” que querem justificar o “filho virtual” que eles têm.

    Deixar vendo Netfilx, Youtube por horas para ter sossego?

    Criar filho dá trabalho.

    Eu cometi este erro. Deixei minha primeira filha em casa com babá e a babá deixava ela o dia inteiro vendo televisão/netflix.

    Resultado: atraso de fala, dificuldades de alfabetização, irritação, impaciência.

    A mãe parou de trabalhar e decidimos que seria melhor ganhar menos dinheiro e dar mais atenção para as crianças.

    Resultado: alimentação de qualidade todo dia, carinho da mãe, afeto, filhos mais calmos e obedientes. O mais novo já está falando tudo e aprende muito com a mais velha.

    Se sua agenda está muito cheia para dar atenção a seus filhos, está na hora de revisar a sua agenda.

  21. Muito bom ,gostei demais das 10 razões para se proibir jogos eletrônicos,tabletes, celulares e muitas outras coisas que levam nossas crianças e jovens a morte .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s