Home


Entre todas as coisas que tento ensinar ao meu filho (e espero que eu não falhe exatamente nessa!), gratidão é uma das que me esforço mais. Nem sei se trata de ensinar, mas de tentar mostrar a ele como é bom cultivar esse sentimento. Ser grato é um estado de espírito – e isso não tem nada a ver com ser poliana na vida.

Eu começo do jeito mais simples e óbvio. Mostrando a ele que dizer obrigado é muito, muito importante. Não um obrigado vazio, como se tem a mania hoje de dizer “obrigada a você” à moça da loja ou ao caixa do supermercado. (Nesses casos, quando eles me dizem obrigada, eu prefiro responder de nada. Faz mais sentido, já que estou comprando lá e poderia estar em qualquer outra lojinha,) O obrigado importante é o das pequenas coisas que o outro não teria nenhuma obrigação de fazer, mas fez por amor, gentileza, bondade. Seja um amigo, minha mãe ou um estranho na rua. É, em primeiro lugar, por educação. Depois, por gentileza. E, por fim, pelo próprio bem-estar.

Aí tem o obrigado que falamos todas as noites, eu e Antonio, para a vida, para Deus, para o anjo da guarda que tem trabalho pra cacete no caso dele, para as pessoas que nos deram algo de bom. Sua presença, seu sorriso, um gesto, um pedaço de bolo, um emprego, um aprendizado. Mesmo que elas não possam ouvir, sermos gratos a elas nos faz bem (a mim com certeza, e eu acho que ao Antonio também). Ser grato a alguém ou a alguma coisa ou mesmo ao próprio curso da existência lembra que ganhamos muitos presentes ao longo de um dia e isso nos deixa mais contentes, mais tranquilos, nos faz sentir que somos afortunados. E nós somos muito. De novo, tenho a impressão que o Antonio também está cultivando esses sentimentos, mas o tempo vai dizer.

Cultivar a gratidão é um antídoto para a depressão. Perceber que ganhamos bençãos diariamente, com coisas muito simples como poder tomar um banho quente, aprender um novo idioma, ganhar uma carona ou comer uma boa refeição, traz bem estar, dá a sensação que fazemos parte de algo maior, nos conecta com as pessoas.

Aproveito então para agradecer o fato de ter um filho, que me leva a refletir sobre coisas que talvez eu não pensasse se não fosse mãe. Obrigada.

Por Fabi Corrêa

 

 

11 pensamentos em “A importância da gratidão

  1. É incrível o quanto ter um ou mais filhos e engajar-se na educação deles nos leva a refletir sobre coisas que nunca pensamos antes, né? Eu acho que cultivar a gratidão é também desejar ter um coração agradecido por essas coisas que nos fazem felizes diariamente como o seu texto hoje. Agradecida!
    Jaqueline Lima
    http://verdemamae.blogspot.com.br/

  2. Adorei as suas palavras. AGRADECER ajuda a ter consciência das bênçãos do dia a dia e a VALORIZAR o que a vida e as pessoas nos trazem, mesmo! obrigada por me relembrar este pensamento hoje, neste lindo inicio de dia aqui em Portugal. bjs

  3. Que texto magnifico!Gratidão é a cura do mal que esta no mundo!
    Se nós mães temos esta visão o mundo (futuro) com fé em Deus a de ser melhor!
    Parabéns pelo texto!show!!

  4. Muito lindo seu texto!!! Me fez refletir sobre muitas coisas boas que Deus me deu!!! Meus filhos!!!! E também amigos que amo muito!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s