Home

Uma leitora me escreveu falando que está com depressão pós parto e acha que nunca vai conseguir ser boa mãe. A bebê dela tem poucos meses. Então fiquei pensando: O que será que é ser uma boa mãe? Eu fui demitida grávida do meu primeiro filho. Tinha 29 anos, estava super empolgada com a minha carreira. Tinha me mudado de Lisboa para São Paulo porque queria mais. E de um dia para o outro, eu virei mãe. Numa cidade nova para mim. Com um namorado de um ano de relacionamento. Foi muito difícil.

Mas voltando para a leitora, fiquei pensando como realmente deve ser difícil ter o primeiro filho nessa época da vida com informação para tudo que é lado. E achei que estamos todas dividindo demais e acolhendo de menos. Dividindo as fotos lindas (feitas por fotógrafos profissionais) do chá de bebê, por exemplo. Quer saber como foi meu chá de bebê? Numa pizzaria. A única decoração de bebê que tinha era a minha barriga. No entanto lembro da carinha de todo mundo que foi. Lembro dos presentes. Lembro dos meus amigos chegando com uma trouxa de pano enrolada em um galho de árvore e dentro da trouxa haviam várias roupinhas super lindas. Lembro que alguns dos presentes que ganhei ali tinham tanta qualidade que duraram toda a fase de bebê do João e ainda foram usados pela Maria Teresa. Lembro de uma caixa de palha cheia de produtos de bebê que foram escolhidos pela minha amiga Jana. Gente, ninguém ali tinha filho. Quanto carinho na escolha dos presentes de uma situação tão desconhecida para todo mundo. Mas claro, lembro também que muita gente não levou presente e só foi mesmo para comer de graça e dar risada. E minha filha não teve chá de bebê. Foi desmarcado em cima da hora por causa do estado grave de doença da minha sogra. Sabe o que é isso? É vida real. Não é comercial de margarina.

Mas estamos esquecendo como é a vida real no meio de tantas imagens frenéticas, opiniões exacerbadas e ilusões sobre situações que só existem na mídia. Acredito que para os mais sensíveis isso seja complicado de encarar. Quando eu passava minhas noites em claro com o João, não tinha o Facebook me mostrando que minhas amigas estavam na festa mais legal da década enquanto eu estava ali de pijama aberto, com os peitos doendo e a tensão de que eu podia estar fazendo tudo errado. E essa era a mesma situação que eu estava ontem, anteontem e ia estar amanhã.

Pois para você que está se sentindo sozinha, que está sentindo que nunca vai ser uma boa mãe, eu queria te dar uns conselhos:

  • Isso vai passar. Tudo passa e essa fase difícil vai passar também.
  • Da mesma maneira que para passar no vestibular é preciso estudar, que para emagrecer é preciso comer com moderação, para viver bem essa fase você precisa se cercar de coisas positivas. Pessoas positivas principalmente.
  • Na visão de uma psicóloga doutora em gestação e bebês, de quem tive a grande oportunidade de conhecer – os bebês demoram 3 meses para sair do útero. Então acolha esse pequeno ser com você, próximo de você e respeite que a fase agora é essa. Lembro de curar muita cólica ou mal estar dos meus pequenos simplesmente colocando eles em contato com a minha barriga.
  • Maternidade não é carreira nem troféu, é uma experiência da vida. Então não entre com a ideia de competição. Não pese seu valor por metas compridas. E está tudo certo se estiver sendo difícil e se você precisar pedir ajuda. Mas para isso, leia de novo a dica número 2.
  • Não fique como louca lendo todo tipo de informação, ouvindo opinião de todo mundo, escolha uma linha de raciocínio. Escolha um pediatra. E confia. Se der errado, você muda.
  • Ao invés de querer ser perfeita em tudo o que faz, faça aquilo que faz sentido para você. Shantala fazia sentido para mim, por exemplo. Aí alivia a sensação de que você está passando o dia inteiro cuidando de um outro, porque na verdade está também fazendo algo que você também gosta.
  • A conexão entre mãe e filho pode demorar meses para acontecer. Ou anos. Mas ela vai acontecer. Ela vai acontecer se você der o seu melhor a cada dia. Se você estiver presente. Mas você não controla essa conexão. Como um espetáculo de balé onde todos os bailarinos estão fazendo a mesma coisa, mas por algum motivo uma bailarina está transcendendo e todos na platéia enxergam isso e começam a bater palmas freneticamente porque sentem algo indescritível acontecendo ali, assim vai acontecer com você. Não é humano, é mágico. E se você não desistir, se você fizer a sua parte (seja lá como for) todos os dias, clap! clap! clap! bravo! bravo! bravo! Parabéns, pelo simples fato de você tentar.

Lendo para as crianças este livro “The Velvetten Rabbit” achei uma linda metáfora sobre a conexão entre mãe e filho.

O livro é sobre a história de um coelho de pelúcia que queria se tornar real.

“ O que é real?” perguntou o Coelho um dia, quando eles estavam deitados lado a lado no chão antes da babá limpar o quarto. “Significa ter coisas que fazem barulho dentro de você?”

“Ser real não tem nada a ver com o material de que você é feito”, disse o Cavalo. “É o que acontece com você quando uma criança te ama por muito, muito tempo, não apenas para brincar com você, mas REALMENTE te ama, então você se torna Real.”

“E isso dói?” perguntou o Coelho.

“Algumas vezes”, disse o Cavalo, porque ele era sempre muito verdadeiro. “Mas quando você se torna Real você não se importa de se machucar.”

“E isso acontece de uma hora para a outra?” “Ou de pouquinho em pouquinho”, ele perguntou.

“Não acontece de uma hora para a outra,” disse o Cavalo. “Você se torna. Mas leva muito tempo. É por isso que normalmente não acontece com aqueles que se quebram facilmente, ou os que têm as pontas afiadas, ou que necessitam de muitos cuidados. Normalmente, quando você se torna Real, seu cabelo já foi tão alisado que não é mais o mesmo, seus olhos já estão meio soltos e você já está meio fora da sua forma. Mas essas coisas não importam nem um pouco, porque uma vez que você é Real você não pode ser feio, exceto para aqueles que não entendem.”

“Renda-se como eu me rendi. Mergulhe no desconhecido, como eu mergulhei. Não procure entender. Viver ultrapassa qualquer entendimento.” Clarice Lispector

Queridas mamães de primeira viagem, eu não sou uma mãe perfeita. Fiz esse blog porque acredito que a maternidade é um desafio muito grande e queria dividir o que tenho a graça de aprender nesse caminho. Muito disso vem da Pedagogia Waldorf e da Antroposofia e mais recentemente da Yoga. Então desejo que no seu caminho, você se aproxime de pessoas que te fazem bem, de ideias que te alimentem. Para que seu pote nunca fique vazio. Separei uns links que podem ser de alguma utilidade:

Blog do Médico Antroposófico Sergio Spalter com várias dicas bacanas

Um vídeo para fazer seu coração se encher de doçura

Para rir:

“Todas essas mães no Pinterest fazendo o seu próprio sabão e biscoitos em forma de renas, e eu assim ó: Dou banho e mantenho meus filhos vivos.”

mae perfeita 1 antes que eles crescam

mae perfeita 2 antes que eles crescam

“Vai lá e se comporte como a mãe do ano no Pinterest e no Facebook, mas não se esqueça: alguns de nós te conhecemos na vida real.”

Para te acalmar: A foto que eu vi no Instagram com uma mensagem que pode inspirar.

barriga grávida antes que eles crescam✨✨✨

“20 semanas de gravidez: nossa sociedade é tão agitada, nos fala para correr o tempo todo – se ocupe, mude, mude, mude! Nesse momento, eu recuso. Eu nunca mais vou ter de volta este tempo. Para deitar aqui e sentir esses chutes delicados dentro de mim. Então por agora – vou parar de pensar (obsessivamente) sobre quanto peso eu ganhei, se eu estou fazendo a coisa certa, se eu estou pronta para ser mãe. Se eu não devia estar limpando os armários, fazendo alguma atividade física, bebendo mais água… por agora, eu só quero estar presente e aproveitar esse presente perfeito que recebi.” Fonte: 

Hoje é noite de lua cheia e você pode encontrar um lugar para relaxar e tentar receber a luz da lua. A luz da mãe natureza. Quando estiver relaxando, entregue o seu corpo, solte o peso no solo, inspire fundo pensando “eu sou” e expire pensando “paz”. Imagine uma luz que subindo e descendo pela coluna enquanto pensa nessas frases. E como diz minha professora de Yoga “mellow your heart, femallow your heart.” (a palavra mellow significa suavizar e mora no feminino.) Deixe que nessa noite, o feminino da lua te acolha e o feminino dentro de você suavize e te alimente.

“Se você fica sempre tentando ser normal, nunca vai saber quão incrível você é.” Maya Angelou

Feliz Páscoa para todos!

Cris Leão

9 pensamentos em “Vamos queimar a bandeira da mãe perfeita?

  1. Lendo o seu texto fiquei pensando no papel da aprendizagem. Afinal criar um filho é um processo de aprendizagem constante, num momento o filho aprende, noutro o filho ensina, ali na frente você aprende com a experiência alheia ou errando mesmo.

    A aprendizagem tem algo muito parecido com o amor, ambos são caóticos, podem ser lentos, ocorrerem em surtos e são processos multidimensionais e tão variados quanto flocos de neve. Mas sua qualidade depende diretamente dos vínculos que construímos.

    • Com certeza, Renato. Obrigada pelo comentário. Lembrei do Rudolf Steiner: “Toda educação é auto educação”.

  2. Lindo como sempre, Cris. Lindo, lindo, lindo. Dá vontade de comentar um monte mas, ao mesmo, tempo parece que você já disse tudo. Parabéns. Bjão!

  3. Lindo texto!!!! Coloca a gente para pensar como sempre… Fico feliz de que tenho conseguido ser uma boa mãe para as meninas…Pelo menos a melhor que eu posso ser, dentro das minhas limitações, claro que com erros e acertos, mas tenho aprendido tanto com elas…Sem dúvida nenhuma, a maternidade foi a melhor coisa que me aconteceu nessa vida!!! Obrigada pelos seus textos inspiradores!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s