Home

“Hoje eu acordei com som de pés se arrastando.

Foi a minha passarinha madruguenta nos pijamas da irmã mais velha que raspava pelo chão.

Eu queria puxar as cobertas para cima da minha cabeça e fingir que estava dormindo.

Mas, em vez disso eu levantei e fiz torradas que ela disse que estavam divinas.

Ela me beijou com os lábios de manteiga.

Acordar cedo não foi minha primeira resposta. Mas eu acordei.

Hoje eu vivi.

 

Hoje ela perdeu seus sapatos pela 37º vez em duas semanas.

Isso foi logo antes da gente sair.

Eu queria gritar, para repreender, para jogar minhas mãos no ar.

Mas ao invés disso eu a abracei. Minha menina descalça.

Juntas nós encontramos os sapatos molhados de sereno no quintal e ela sussurou: “Desculpa, eu sou esquecida, mãe.”

Ser calma não foi minha primeira resposta. Mas eu fiz.

Hoje eu vivi.

 

Hoje os passarinhos cantavam animados no lado da porta aberta.

Esse falatório alegre parecia acentuar os prazos, as roupas que eu tinha pra lavar, a bagunça amontoada em volta de mim.

Eu queria bater a porta e silenciar a tentação: havia tanta coisa para fazer.

Mas ao invés disso eu coloquei meu tênis de corrida e meu chapéu favorito.

A cada passo, eu chegava mais perto do que importa e mais longe do que não importa.

Ser leve não foi minha primeira reação. Mas eu fiz.

Hoje eu vivi.

 

Hoje eu estava na frente do espelho me medindo. Me achando grande demais. Me observando.

Era evidente que o estresse e a falta de sono haviam deixado suas marcas.

Eu queria dissecar cada ruga, arrancar cada camada de pele mole.

Mas ao invés disso eu desviei e disse: “Hoje não. Só hoje não.”

Me amar não foi minha primeira reação. Mas eu fiz isso.

Hoje eu vivi.

 

Hoje eu arrumei um jantar simples e coloquei no prato.

Tinha uma cara patética e desagradável.

Eu queria questionar meu merecimento baseado nas minhas habilidades culinárias.

Mas em invés disso eu gritei, “Vamos comer fora na varanda! Tudo parece mais gostoso lá fora.”

Me oferecer graça não foi minha primeira reação. Mas eu fiz.

Hoje eu vivi.

 

Hoje eu estava em uma missão para colocar minha filha na cama o mais rápido possível.

Tinha sido um dia cansativo e eu só queria ficar sozinha.

Ela me perguntou se ela podia escutar a batida do meu coração.

Relutantemente, eu deitei ao lado dela e ela colocou a cabeça no meu peito.

“Nós temos o mesmo batimento”, ela disse.

“Como você sabe?” Eu perguntei esperando alguma raciocínio de criança, mas ao invés disso sua resposta pungente me deixou de joelhos.

“Porque você é minha mãe.”

E lá estava ela. Minha confirmação.

Para optar por ficar quando eu quero recuar.

Para escolher perdoar quando eu quero condenar.

Para escolher amar eu quando quero atacar.

Para escolher ter esperança quando eu quero duvidar.

Para escolher ficar quando eu quero cair.

 

Hoje eu vivi.

Não foi minha primeira resposta.

Mas eu compartilho a mesma pulsação com duas almas preciosas.

E isso é o suficiente para me fazer passar o dia. (superar o dia)

Eu vou escolher viver de novo amanhã.”

 

Li este texto no Hands Free Mama e quis compartilhar aqui hoje. Porque hoje é o último dia que estou sentada nessa cadeira, escrevendo nessa mesa nesse blog que nasceu aqui em Miami. Então queria escrever alguma coisa e me alimentar do sentimento gostoso que sinto quando coloco um pouco do meu coração aqui.

Nossa mudança sai amanhã e vamos para São Paulo no sábado. De lá eu continuo escrevendo, mas não vai ser a mesma coisa. Porque nunca é. A vida passa em um minuto. O cenário muda o tempo todo e mudamos com ele.

A melhor coisa que aprendi na vida até aqui foi calar a boca da vozinha chata que só quer atrapalhar. Já comentei sobre isso no blog e muita gente respondeu dizendo que não sabia como fazer isso. Então quero explicar como eu estou conseguindo fazer. (depois de muita terapia) Sabe como é? Primeiro você precisa estar presente, estar consciente. Meditar ajuda, yoga ajuda. Mas você pode simplesmente respirar fundo. Calmamente. Esse é o começo. Tente fazer isso sempre. Quando você começa a ficar consciente você percebe que essa vozinha não é você. Você é o que acontece quando essa vozinha perde o poder. Então como destroná-la? Simples e pode ser divertido: toda vez que essa vozinha chata (nossos piores medos, nossos complexos, nossa insegurança) falar alguma coisa, você responde de volta! Não fique calado. Não acate com as bobagens que essa danada fala. (ela só fala asneira)

Assim:

  • Você tá na praia, de biquini e a vozinha fala “se tampa, você tá muito gorda” ao invés de obedecer, responda “Ah vá, você não acha que eu vou passar meus poucos momentos de praia pensando no meu peso, né? Esse dia é um presente e eu preciso aproveitar, dá licença. Volta com esse papo numa segunda-feira.”
  • Você está brincando com seu filho, a brincadeira começa a ficar demorada a vozinha fala “nossa, sua vida é um tédio, olha para você, antes você saia o tempo todo, ia a lugares super legais, agora fica em casa de pijama brincando”. Responda: “Olha, você não sabe mas algumas vezes eu saia e era bem chato, tinha fila de espera nos lugares, no cinema tinha sempre uns sem educação, esse cara aqui é bem divertido e outra, ele vai crescer, vai enjoar de mim então hoje eu vou aproveitar essa brincadeira e esse pijama”.

Entendeu? A gente não perde o medo, a gente aprende a viver com ele. A gente não vira de um dia para outro uma pessoa sem complexos, a gente aprende a viver com eles. E fazendo isso a gente começa a gostar mais da gente mesmo. Porque você já faz tudo isso para sua melhor amiga. Então só precisa começar a fazer por você.

Beijo com carinho,

Que no fim de cada ciclo, a gente possa sair com o coração preenchido da sensação de ter vivido. Clica aqui e canta essa música comigo e vamos juntos ser donos de cada segundo que esse mundo nos dê. ; )

Cris Leão

 

 

41 pensamentos em “Hoje eu vivi.

  1. Cris, você é maravilhosa! Tenho certeza! E esse texto foi pra mim… Mtas vezes grito, escandalizo e em segundos já me arrependo, pq tem uma carinha linda me olhando e pedindo desculpas, as vezes por umas coisas bobas!Hoje mesmo, ela (que teve o banheiro do quarto inaugurado na última semana) abriu de mais a torneira da pia e pela terceira vez molhou o tapete, chão, móvel e tudo que conseguiu… e ela veio do quarto pedindo desculpas, pq “não prestou atenção e molhou tudo de novo”…Eu disse que não tinha problemas, porque eu mesma já fiz coisas erradas, que isso acontece, por isso que temos que prestar atenção e então ela correu pro pai e disse: Pai, você também já fez coisas erradas? E meu marido, sem saber o que estava acontecendo, disse que sim… A resposta dela foi pronta: Então vocês não podem brigar comigo, porque os dois já fizeram coisas erradas e agora eu vou prestar mais atenção! Nessas horas percebo o quanto ela é especial, esperta, inteligente e engraçada!

    Desejo que o ciclo em Miami tenha encerrado tranquilo, e que agora, no Brasil possas ser ainda mais feliz e inspiradora!

    Bjs, Renata Munari

    Date: Wed, 13 Jan 2016 19:22:16 +0000 To: renatamunari@hotmail.com

  2. Que belo texto, Cris. Não nos conhecemos, mas desejo que essa nova fase da sua vida seja rica e repleta dessas maravilhosas vivências. Um abraço e obrigada! Foi um belo presente de aniversário receber esse post!

  3. Sem palavras ! Seus textos sempre me tocaram muito profundamente . Obrigada por dividir , mas principalmente por me ajudar a elaborar tudo isto .
    Desejo um novo ciclo de muito crescimento e evolução pra vc ! Um grande beijo .

  4. Cris!!
    Impossível não se emocionar com seus textos!!, muito obrigado!!
    Que sejas muito feliz aqui no Brasil!!!

  5. Linda essa mensagem, parabéns!!!! Boa sorte na sua mudança, que de tudo certo, seja bem vinda a São Paulo. Abraços!!!

  6. Lindo esse texto..amei….obrigada!

    Vc está de mudança para São Paulo? Acompanho seus textos pelo blog/email..quem sabe podemos nos conhecer ou fazer algo juntas antes que eles cresçam? Sou a Liliana e tenho um menino Bernardo de 2 anos e 9 meses! Bjs!

    Enviada do meu iPhone

    >

  7. Nossa este texto falou muito comigo ,precisava ler ele para começar por em pratica e dar adeus a esta vozinha que atrapalha tanto nossa vida

  8. Bom dia Cris

    Venho acompanhando sua história já faz um bom tempo e hoje além da terapia que você me proporciona fiquei muito feliz em saber que você está voltando.
    Morei no Alabama, minhas filhas nasceram lá, meus cachorros foram adotados lá, tudo era aparentemente bom , uma grande casa, um carro gigante que nunca sonharia em comprar no Brasil, a segurança, o emprego sem horas extras…
    Mas faltava a jabuticaba…
    Faltava aquele almoço de domingo na casa da vó com toda a família reunida com muito falatório e muita comida.
    Faltava os tios e tios que agarram, caem no chão, viram cavalinhos e invadem a vida das crianças com sua presença.
    Faltava os primos… Meu Deus… Quanta brincadeira, quanta risada, briguinha também, mas quanta vida!
    E o amigos, aqueles papos até altas horas sem se preocupar com o horário de chegada e saída.
    É Cris, acho que a jaboticaba adoça nossa vida vida, conforta nossas vidas… Problemas sempre teremos aqui no Brasil, em Miami, e até na na china.; mas pertinho das pessoas que nos amam ficam mais leves.
    Parabéns pela sua decisão!
    Pode ter certeza que é a certa. Nunca Duvide!
    Um grande beijo a você e sua família
    Bia viagem

    • Um relato bem legal Alessandra. Achei uma ótima descrição desse “algo” intangível e imensurável que mesmo o conforto e a segurança não conseguem substituir. O Brasil têm muitos problemas, alguns que vão levar décadas para serem resolvidos e realmente temos muito, mas muito mesmo, a aprender com os estrangeiros. Mas torço para que nesse processo de crescimento essa nossa “jaboticaba” não seja perdida.

    • Alessandra, fiquei emocionada com seu comentário. É exatamente isso. O lado afetivo é o que mais conta. A segurança, o conforto, as viagens, o aprendizado de uma nova cultura (ou muitas) é super rico. Mas o afeto é o que mais conta. Como diz Adelia Prado “o amor é a coisa mais fina do mundo”. Muito obrigada pelo carinho, pelas palavras. Um grande beijo para você e sua família também.

  9. Interessante, estou lendo o livro “Kriya Yoga: Insights ao longo do caminho” e ele fala muito sobre isso. A vozes na nossa cabeça que parecem ser a gente e na verdade não são, as circunstâncias que nos afetam e também não são, o apego às coisas que gostamos e o medo de perdê-las que também não são. Enfim, as inúmeras armadilhas do ego. Ele faz uma analogia que diz que se a vida for um colar de pérolas essas coisas que vêm e vão são as pérolas e nós somos o fio que está abaixo delas e as une.
    E é muito legal ver você praticando algo similar. Torna o texto do livro mais… verossímil, possível, mais real.

    • É isso Renato. A psicologia tem um nome para isso, a Constelação Familiar tem outro, Jung tem outro, a Yoga tem outro, etc, etc. Mas na prática o que precisamos é calar essa voz para viver de verdade. Obrigada pelo comentário.

  10. Criiiiiiiiiiis, caraleooooo…. o texto, a música, a história, a vida, a respiração, o amor…. aaaaaaaaaaaaa you rock!!! Beijos (desculpe a empolgação)

  11. Nossa Cris, o que posso dizer? com lágrimas nos olhos escrevo para lhe agradecer por sempre tocar nosso coração com suas palavras.
    Que Deus abençoe esta nova etapa! Seja muito bem vinda em seu novo lar! Se eu puder ajudar em algo por favor, conte comigo!
    Meu e-mail é rafaella.fcj@gmail.com
    Moro em Alphaville, mas estou sempre em São Paulo.
    Um beijo carinhoso com meus mais sinceros sentimentos de que vocês tenham uma vida muito feliz neste novo lar!!

  12. Cris, acompanho seu blog há um tempo e seus textos são impressionantemente bons!! Tocam a alma!! Tenho um filho de 7 anos e a cada novo texto seu, me identifico e aprendo mais e mais com tudo o que você passa. (e toda vez vc me faz chorar de emoção, rs) Boa sorte no retorno de vocês para o Brasil, que tudo por aqui seja lindo e abençoado!! Ah, e não deixe de continuar escrevendo, por favor!! 🙂 Bjo gde.

  13. Querida Cris,
    Um beijinho desde Portugal e não deixe de escrever nest blog…ainda que desde São Paulo!!É uma inspiração para todos nós :)! Muita força e ânimo nessa mudança!! 🙂

  14. Oi, Cris! Sempre acompanho seu blog e espero que sua nova vida tenha um tempinho para nós. Desejo força e luz divina para clarear as suas decisões. Vai dar tudo certo porque o bem que há em você não permite ser o contrário. Avante!

  15. Sempre acompanho seu blog, mas eu raramente comento. Aquela “vozinha chata” me diz pra não comentar… hoje decidi não dar ouvidos a ela. Lindo o texto! Gosto muito do blog Hands Free Mama tb e parece que foi tudo, tudo pra mim: a tradução e seu texto.

    Que sua vida em Sampa seja muito feliz, cercada de amor, ok?! Boa volta ao país 😉 E no aguardo para ler novos e belos textos teus.

    Beijão!

  16. Querida Cris, toda a sorte do mundo nessa nova etapa. Suas palavras sempre caem bem, foi uma linda despedida. Bem vinda de volta ao Brasil, e espero que continue escrevendo e nos brindando com seus lindos textos…. Um abracao!

  17. Lindo Cris, tive a alegria que conhecer seu blog através da indicação de uma amiga, desde então sempre acompanho. Este texto foi incrível, e realmente é muito difícil mas é possível não dar atenção a vozinha chata, e o resultado é muito melhor. Nossos pequenos agradecem… Boa sorte nesta nova etapa!!!

  18. Faz já algum tempo que leio teus textos e me encanto com eles, e aprendo muito. Mas nunca havia deixado comentário. Hoje resolvi quebrar o silêncio para te agradecer por contribuir na minha busca como mãe. Essa busca maravilhosa e desafiadora. Obrigada por todos os momentos de reflexão proporcionados por seus textos e seja bem vinda de volta ao Brasil. Que esse seja mais um lindo capítulo da sua vida! Um forte abraço!

  19. Ei Cris! Seja bem vinda na sua terrinha!! Que sua vida e de sua família aqui em terras brasileiras, seja doce e feliz!!! E como você já viu nos comentários aí em cima, seu blog faz bem para muita gente, continue escrevendo lindamente!!! Esperamos que você coloque logo todas as suas coisas no lugar para que possa escrever logo!!! Um grande beijo!!

  20. Recebo seus emails, mas nem sempre consigo ler todos, mas esse foi demais.

    Obrigada por suas palavras, obrigada por compartilhar daquilo que todos passamos e não conseguimos expressar de tal maneira.

    boas energias na sua mudança e seja bem vinda no Brasil Cris.

    Thais

    ________________________________

  21. Cris, espero que tenha dado tudo certo na mudança!! Que Deus abençoe sua nova etapa! Se puder ajudar em algo conte comigo!
    Um grande beijo e seja bem vinda!!

  22. Pingback: Dia das Mães | ANTES QUE ELES CRESÇAM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s