Home

Desde o dia que escrevi aqui falando sobre o reconhecimento que todas as mães gostariam de ter (mas não tem) fiquei pensando sobre isso.

Pois então convido todas vocês, eu, os pais presentes na criação dos filhos, para um momento de reconhecimento.

Ganhei de presente essa semana (e meu papel aqui é dividir presentes) um livro emprestado que é uma delícia. Sabe quando você gosta tanto de uma coisa que queria mergulhar dentro nela? Para assim sentir que está aproveitando por todos os lados? Não mergulhei porque tive que devolver o livro 2 dias depois. Mas deu tempo de fazer minha pesquisa do mestrado e ainda reconhecer essa palavra – mãe.

O livro é o Dicionário Analógico da Língua Portuguesa. E nele mãe é:

Entidade divina, deusa, diva, Zeus, orixá, Exu, Ogum, Oxóssi, Iemanjá, Iansã, gênio do bem, divindade tutelar, fada, Ariel, eleitos do Senhor, milícia celeste, mariano, angélico, imaculado, santo, bem-aventurado, rainha do céu, querubinico, miraculoso, messias, salvador, protetor, boa estrela, anjo da guarda, causa, motivo, origem, princípio, causa geradora, respeito, semente, força motriz, gênese, influência, raiz mestra, ventre, terra natal, matriz, natural, determinante… entre outras tantas analogias que se referem a algo grande, bastante grande.

Na escola minha filha junto com os colegas de classe tiveram que escolher um animal para adotar (virtualmente) dentre os animais resgatados na Mata Ciliar. Eles pesquisaram vários animais. Alguns gravemente feridos, outros com deficiência física, amputados, cegos, mas escolheram o que os chamou mais atenção (e preocupação). Minha filha foi contando todas as histórias tristes dos animais que estão ali resgatados, mas deixou por último aquele que adotaram e ela disse em atuação dramática com os braços para cima: “Ele é pequeno e não tem mãe!”

Pois é, entidade divina, deusa, diva, Zeus… as crianças reconhecem. Isso basta?

Reconhecer também é conhecer de novo. E de verdade que antes de ser mães, já conhecíamos uma mãe. Por isso o reconhecimento começa aí.

Eu vejo que muitas mães tentam “consertar” o que a própria mãe fez de errado, ou fazer o que a mãe não fez. Acredito que a gente não consiga fugir dessa continuidade (mesmo que seja para tentar romper). A vida segue esse fio da meada. Nossa herança não só genética, mas também espiritual, de sentimentos. Mas como diz minha professora filósofa “se for para reviver o passado, que seja para construir não para destruir.”

Lembrando que uma boa mãe tem dias maus dias incríveis & dias normais & dias extremamente cansativos & dias perfeitos dias onde só está tentando & dias de super mãe & dias onde só está sendo mãe & um monte de amor & dias da loucura que é a maternidade.

“Mãe é o continente, é a nossa terra natal” (Winnicott).

 

Por Cris Leão

Foto: Eu e minha filha clicada (5 anos atrás) pela linda Estefi Machado

Queridos que acompanham esse blog, estou sumida por causa da correria de mestrado e formação em Psicanálise. Quando eu tenho uma folga, é difícil parar para escrever. Por isso queria propor um encontro. Alguém topa? A gente pode fazer alguma coisa juntos: uma aula de dança circular, plantar um horta, fazer enfeites para o Natal ou de repente, para um primeiro encontro, só bater um papo ao vivo. Alguém anima? Se sim, preferem fazer alguma coisa ou só conversar? Responde aí na sessão de comentários. ; )

42 pensamentos em “O que é ser mãe?

  1. Estar com vc… apenas por estar já seria bom demais!!
    O prazer de te ouvir seria espetacular, já que ler seus textos são momentos de paz, clareza, amor e sei lá quantos outros sentimentos vc desperta, em minha opinião!

  2. Obaaaa, estava esperando tanto por um encontrinho!
    Um piquenique no parque… algo ao ar livre ou um café em uma livraria, seria ótimo Cris.
    A propósito o texto está fantastico como todos os outros, parabéns e muito obrigada!!
    PS: O livro que você indicou no último post (As lembranças de Alice) é simplesmente fantástico! Devorei em um final de semana!

    Beijos

  3. Adoraria esse encontro! e acho que já teremos muito o que conversar e dividir, por isso não dará tempo de fazer mais nada. Apoio um encontro bate papo.

  4. Que pena que moro longe! Mas estarei com vcs de coração e alma! Amo estes textos (todos!) e, depois, faz post sobre o encontro, tá Cris Leão?

  5. Também estou dentro desse encontro. Será ótimo poder trocar ideias e experiências com você e outras mães que, como eu, admiram tanto os seus escritos. É só marcar, Cris!!

  6. Nossa Cris, que convite!
    Você não imagina a energia que suas palavras transmitem, e conhece-la pessoalmente seria um prazer imenso.
    Farei uma força enorme para estar junto com vcs.
    Beijo a todas

  7. Ah, seria demais! em um ambiente aberto seria ótimo, mas o clima pode sempre comprometer… tentarei ir em qualquer lugar, com o meu pequeno de 10 meses 🙂
    será muito bacana conhece-la pessolmente! gd bjo!

  8. Bom dia!que otimo texto!Lindo por natureza…Peco em querer ser uma mãe mais paciente mas ultimamente minhas demandas estão me estressando muito e acabo descontando em minha filha..Sofro por isso.São muitas coisas que me cobro e ainda tenho uma divida com meu yoga que sempre teve presente em minha vida como professora e não consigo desenvolver com milha filha.Falta tempo pois trabalho o dia todo,ela fica na creche o dia todo e quando chego ainda tenho que arrumar casa,ver o que comer.Numa cidade sem ninguem da familia pra dar um apoio é muito dificil..Não querendo ser pessimista.Gostaria muito de me encontrar mas moro no estado do Rio.
    Desejo todos amor do Mundo a todos nós esta é umas das jornadas mais emocionantes e desafiantes que uma mulher pode ter.
    Namastê

  9. Eu iria adorar!!! Mas pena que moro em Belo Horizonte….Mas, caso você venha em terras mineiras, será um grande prazer tomar um cafezinho com pão de queijo com você!!!

  10. Eu adoraria o encontro! Pena viver em Lisboa e não poder ir! Mas bebo (e mergulho) em cada palavra que escreve…não deixe de escrever, por favor 🙂
    um beijo português

  11. Texto excepcional. Sempre achei mãe uma palavra cheia de substância mesmo. Depois que me tornei uma, passei a ver que mora na gente um sentimento do mundo e uma dor sem igual. Também escrevi a respeito no meu blog. Parabéns pela sensibilidade.

  12. Conheci seu blog semana passada, já li tudo, opinei às vezes, às vezes concordando e às vezes discordando. Adoro tudo. Mando alguma coisa para o meu marido. Antes de chegar neste post, já tinha pensado “imagina conhecer essa mulher?” Você expõe suas questões com tanta clareza e humanidade que é difícil não se identificar com elas. Adoraria te conhecer, participar deste bate-papo!

  13. Estou animada para nosso encontro! Alguém tem alguma sugestão de lugar? Eu amei a ideia da Rafa de fazer um piquenique no parque, mas com o clima de SP acho que não dá para arriscar. Além disso, precisa ser um sábado de manhã e final de semana nos parques fica muito cheio, acho que não é o ideal para conversar. Pensei em uma livraria. Encontrei uma muito linda, com sofá, quintal, mas eles cobram para fazer evento. Alguém tem alguma ideia?

    • Oi Cris, eu te acompanho aqui no blog e fiquei muito feliz com a oportunidade de te conhecer.
      Acho que uma livraria bacana é uma ótima idéia para um bate papo.
      Me coloco à disposição para ajudar a organizar o encontro.
      Com certeza será uma experiência incrível!

      • Oi Andréia, legal. Você conhece alguma livraria que tenha espaço e disponibilidade? Eu conheci uma mas eles cobram para esse tipo de coisa. Se souber, me fala. Obrigada.

  14. Oi Cris, vou checar nas livrarias da Vila de Moema e Pinheiros, porém não sei se eles cobram.
    Precisamos saber o número aproximado de participantes.
    Um abraço

    • Ótimo. Sobre o número, a questão é que precisamos saber onde é e se é preciso pagar para saber quantas pessoas vão, né? Acho que o ideal é pensar em no máximo 30 pessoas. Assim temos pelo menos um parâmetro para conseguir encontrar um lugar. Vamos assim? Obrigada. Um abraço

  15. Bom dia Cris,
    A livraria da Vila de Pinheiros (Rua Fradique Coutinho) possui espaço e disponibilidade para o nosso encontro na área do café e não cobram por isso.
    Teremos que combinar às 9h30 no sábado, pois o único inconveniente é que não podemos reservar e às 10h teremos que nos acomodar.
    O que você acha?

    • Oi Andréia, que legal! Mas eles vão fechar o café? Eu conheço o espaço, tem umas 6 mesas. Não corre o risco de chegarmos lá e algumas já estarem ocupadas? Fora isso, adoro o lugar! Acho ótimo.

  16. Oi Cris, eles não fecham o café. Segundo o gerente, se chegarmos antes de abrir, garantimos os lugares.
    Eles abrem às 10h e pensei em chegarmos às 9h30.

  17. Oi Cris! Que delícia de encontro! Pena que moro longe de SP, mas se houver outros encontros, por favor, nos comunique. Quem sabe não estou por aí… Obrigada por compartilhar conosco seu aprendizado tão precioso!

    • Andréia, não chegamos ao número que eu considero o mínimo (10 pessoas). Então me parece que esse não é o melhor momento para esse encontro. Eu também, sinceramente, estou bastante corrida com final de ano, final de semestre… Então marcamos no ano que vem. Um beijo e muito obrigada!

  18. Pingback: O QUE É SER MÃE? | Enciclopédia Materna

  19. olá adorei os posts, adorei o blog…voce aborda e compartilha assuntos da qual tenho a mesma visão obrigada vou adorar te seguir….se quiser me conhecer entra la rapidinho em curtindo a família
    bjss…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s