Home

Eu sei que está todo mundo cansado, desacreditado. Por isso, eu preciso falar uma coisa. Seria muita sorte do pessimismo ele ganhar sempre.

 

Há 4 anos atrás, comecei a escrever esse blog. O desejo era dividir com mais pessoas o aprendizado incrível que acontecia dentro dos muros das escolas Waldorf por onde passei. Minha companheira de início de jornada, Fabi Corrêa me ajudou a ter coragem de seguir em frente com o plano. (Quanto plano a gente tem e nunca realiza, né? O medo sempre quer ser o imperador do nosso destino.)

Começamos tendo 30 visitas por dia, que eram muito comemoradas. Afinal, a gente escrevia para ser lida. A gente queria fazer sentido para quem lesse. Depois do texto “Seu filho precisa mesmo ser tão feliz?” o blog explodiu de visualizações. Eu estava no teatro com meus filhos e quando saí vi que tinha várias mensagens da Fabi. Quando consegui falar, ela disse: Cris, o blog foi acessado hoje por 75 mil pessoas!

Parecia que estava fazendo sentido para quem lia. Mas essa coisa de escrever é um pouco estranha. Porque a pessoa quando não gosta, fica com uma raiva de um tamanho que parece que você pixou o texto dentro da casa dela. Então recebi muitos xingamentos também. Foi um grande aprendizado deixar toda aquela energia ruim passar para poder acolher as mensagens boas que também chegavam.

O aprendizado com antroposofia era tão intenso no período que eu morava em Miami (graças a minha amiga e arte terapeuta Ceci Staubli) que eu não conseguia parar de escrever. Minha vida era bastante atarefada, mas tinha dias que eu acordava às 4h da manhã para escrever. É o caso do texto Desista. Aliás, os melhores textos saíram de uma vontade muito intensa.

Agora, o blog já tem mais de 240 textos. Alguns frutos de muito estudo e trabalho, mas ficam no blog parecendo uma “notícia velha” já que a lógica do blog é também temporal. Então decidi tomar coragem e ir atrás de uma editora para publicar os melhores textos em um livro. Depois de algumas tentativas (quase um ano), consegui.

Eu queria agradecer muito quem incentivou, quem escreveu “não pare de escrever”, porque não é sempre fácil sentar na frente de um computador e sem que ninguém esteja pedindo, você escreve e publica. Muitas vezes soa ridículo, sabe? “Nossa, quem se importa” são as vozinhas. Mas eu precisava ser fiel ao que sentia.

Foram muitas as mensagens marcantes nesses 4 anos, a Lara uma vez me fez calar aquela vozinha de vez. Toda hora que a vozinha me desanimava, eu lembrava das palavras da Lara. Aqui vai só um trecho da mensagem dela:

“… bom quero agradecer a delícia que é ler os textos de vocês. Tem me ajudado imensamente a amar meu filho e respeitá-lo de forma diferente e tem também me ajudado a me encontrar como ser humano, mãe, mulher, esposa…”

Para quem até então só tinha escrito para propaganda, está de bom tamanho, não está?

Quando o João nasceu, eu fiquei bastante perdida. Com a mudança para NY quando ele tinha só 10 meses e estava longe de dormir bem à noite, fiquei mais perdida ainda. No meio da solidão que foram esses primeiros anos da infância dele, (solidão de não ter uma rede de suporte, de não ter muitas mães para trocar ideias) eu conheci o blog “A Ervilha Cor de Rosa” e enquanto lia e me encantava, eu sonhava em um dia fazer igual. Eu sonhava em retribuir o bem que a Rosa me fazia com aqueles posts.

Eu fiz. Deu certo. E é essa a mensagem que eu queria passar aqui hoje para você: pode ser que dê certo. (O casamento, a criação dos filhos, o projeto, a mudança) De vez em quando é preciso resgatar aquela criança que acredita. De vez em quando é bom parar de ter medo e abrir uma janela grande para o sonho entrar e tomar algum espaço na vida. Sem briga, sem guerra, com amor mesmo. *

Enfim, queridos que acompanham esse blog. Estou bastante emocionada. Adoraria conseguir passar por palavras o que estou sentindo. Mas por enquanto não parece que vou conseguir. Só queria deixar registrado minha gratidão e meu testemunho nesse dia. Quem sabe a minha história não serve de inspiração para que você tenha uma vida com menos medo? Essa sempre foi a ideia. : )

Espero todos vocês no lançamento do livro. (Pelo menos os que moram em São Paulo) Meu próximo desejo é fazer com que os encontros que acontecem aqui, aconteçam fora da internet também. O coquetel de lançamento do livro vai ser um ótimo começo para isso. : )

convite_cristina_leao.jpg

Deixo um presente do Rudolf Steiner aqui. (e também no livro) Já que ele foi o motivo para tudo isso acontecer.

* FORJANDO A ARMADURA

“Nego-me a me submeter ao medo que me tira a alegria de minha liberdade, 
que não me deixa arriscar nada, que me torna pequeno e mesquinho,
 que me amarra, que não me deixa ser direto e franco, que me persegue, 
que ocupa negativamente minha imaginação, que sempre pinta visões sombrias.

No entanto não quero levantar barricadas por medo do medo.
 Eu quero viver, e não quero encerrar-me.
 Não quero ser amigável por medo de ser sincero.
 Quero pisar firme porque estou seguro e não para encobrir meu medo.

E, quando me calo, quero fazê-lo por amor e não por temer as conseqüências de minhas palavras.

Não quero acreditar em algo só pelo medo de não acreditar.
 Não quero filosofar por medo que algo possa atingir-me de perto. 
Não quero dobrar-me, só porque tenho medo de não ser amável. 
Não quero impor algo aos outros pelo medo de que possam impor algo a mim:
 Por medo de errar, não quero tornar-me inativo.

Não quero fugir de volta para o velho, o inaceitável, por medo de não me sentir seguro de novo.
 Não quero fazer-me de importante por ter medo de ser ignorado.

Por convicção e amor, quero fazer o que faço e deixar de fazer o que deixo de fazer.

Do medo quero arrancar o domínio e dá-lo ao amor.
 E quero crer no reino que existe em mim.”

Por: Cris Leão

39 pensamentos em “Coisas boas também acontecem. Acredite.

  1. Que notícia maravilhosa! Gosto muito dos seus textos, sua maneira clara de mostrar os questionamentos, reflexões e experiências. Se eu morasse em São Paulo com certeza iria. Mas assim que estiver disponível para venda, por favor nos avise. Em tempos de mundo digital, me sinto velhinha gostando de ler o bom e velho livro no papel. Muito sucesso! Juliana Zini

  2. Olá, Cris, bom dia! Senti uma vontade imensa de comentar o texto de hoje. Não por acaso, já há alguns dias levanto todos os dias e me deito despindo-me do medo e da insegurança para ir, assim como você em busca da minha verdade pessoa e do que me faz sentido. Sou mãe há 1 ano e sete meses, fui mandada embora assim que voltei da licença maternidade, trabalhava em uma empresa de tecnologia dessas estilo “google life style” e vivia imersa no meu trabalho e na rotina frenética que o mesmo impõe, mas que devido a todo tratamento de imagem e estilo de vida que o RH constroe você acaba nem percebendo. Passado o susto da demissão e com o apoio irrestrito do meu companheiro de jornada fui percebendo o quanto tudo passava a fazer sentido e como fora recompensatório poder estar com a minha pequena de forma mais presente e poder vivenciar seus primeiros momentos por aqui de maneira tão intensa. Claro, tem dias que penso como era mais feliz ao acordar de manhã poder me trocar calmamente, me maquiar, ir trabalhar, encontrar os amigos, almoços, jantares, etc etc. Enfim, mas também apesar da felicidade e plenitude de vivenciar a maternidade tive um choque ao sentir um certo desencontro comigo mesma…aos poucos parece que não me reconheço mais como pessoa. Estou sempre “servindo” a filha, ao marido, ao pai, aos avós, família, cachorros, enfim…me perdi no meio disso tudo. Nos momentos de calmaria encontrei seu blog, seus textos, suas palavras…ahh que delícia de encontro. Me cadastrei e a cada email que recebia com mensagem de novo post parecia deixar o dia até mais leve, como que seu eu tivesse marcado um café co uma amiga e fossemos conseguir ter aquela conversa deliciosa e verdadeira. Enfim, há alguns dias resolvi colocar em prática um projeto particular, vencer meus medos de não me sentir mais apta para nada que não a maternidade e me permiti, me permitir voltar a sonhar, me permiti dizer que sim eu posso e vou conseguir. E hoje de manhã enquanto estou aqui cheia de livros, anotações e colocando a cabeça para funcionar meu celular vibra..era um email de notificação..sim um email com novo post no blog…o título me fez parar tudo e vir ler ..e para minha surpresa..que texto..que mensagem…estou aqui meio que sem ar por essas coincidências do universo para dizer que espero daqui um tempo poder escrever aqui que também terei o prazer de colher os bons frutos. Se hoje estou aqui com coragem para semear muito tem da sua ajuda e dos seus textos. Obrigada, obrigada e obrigada. Moro no interior e muito provavelmente não consiga ir para o lançamento do livro, apesar da vontade, mas espero sim, um dia poder participar de um encontro com você e, por favor, não pare de escrever!

  3. Que lindo…lindo!! Obrigada por incentivar essa coragem que às vezes está dormindo! Muitas vezes chorei ao ler seus textos de tanto que me identifiquei… E pude perceber que neste mundo materno..passamos pelos mesmos desafios.. e como é maravilhoso estar em uma rede de apoio.. Adoraria estar com vc no dia de lançamento de seu livro!Quem sabe! Moro em Jundiaí! Vamos ver! Sinta-se abraçada pelo sentimento de gratidão é isto que sinto por vc!!! Gratidão pelas palavras que vão muito além da comunicação é empatia pura!!! Bjos Patricia

  4. Uau! Não tem como estar o lançamento, mas já anotei na minha agenda para comprar logo após o lançamento. Quero muito! Parabéns pelo trabalho! Gratidão!

  5. Que notícia maravilhosa!!! AMO seus textos e levo eles para a vida, não só para a maternagem. Adoro a sua coragem de abordar determinados temas e a forma amorosa e firme de apontar algumas questões.
    Fiz um blog recentemente para compartilhar sensações da vida e é muito interessante como tocamos as pessoas com as nossas verdades…
    Infelizmente, não moro em São Paulo, mas se quiser trazer o lançamento do livro para Brasília e precisar de ajuda, terei o maior prazer em ajudar na divulgação ou na logística. Esses temas da maternidade e do viver com mais verdade, com a nossa verdade, tem muita inserção por aqui. Desejo sucesso no lançamento e que muitos outros desejos sejam realizados!!! PARABÉNS!!!

  6. Cris, acompanho você há bastante tempo, desde a época que vc estava em Miami. Gratidão por tanta partilha e parabéns pela conquista! Bjs (Thati- Manaus)
    Responder

  7. Em busca de uma significação maior para mim e para a criação dos meus filhos, cheguei ao teu blog. Que oásis!!!! A cada texto eu me remodelava ou me reencontrava (perdida que estava, né?). A forma como vc escreve, a profundidade na simplicidade, me amarrou para sempre aqui! O texto DESISTA tomei para o resto da minha vida; sempre o releio, encontrando acalento e coragem! Estou imensamente feliz com o livro e desejando deveras que ele possa permitir que mais e mais mulheres cheguem até esse blog, possam se saciar nessa fonte de água fresca. Cris, não pare nunca de escrever! Parabéns pela coragem, pelo enfrentamento, pela leveza e pelo bem que faz! Aqui no Paraná ficarei torcendo para poder comprar teu livro! Forte, forte abraço!!!!

  8. Querida Cris, que maravilha! Parabéns! Teu blog me ajudou e ajuda muita. Faz com que não me sinta sozinha em meio a tantas demandas da vida. Comecei a ler os textos em 2014, quando voltei de licença maternidade do nascimento da minha primeira filha. De lá para cá, muito aconteceu e sempre, sempre tuas palavras me trazem amparo e/ou reflexão. Obrigada e sucesso com o livro.

  9. Parabéns Cris, fiquei muito feliz pelo seu livro! Te acompanho a muito tempo, me emociono, leio e releio seus textos. Vc não imagina o quanto me ajuda, me faz refletir e me torna uma mãe q tenta erra menos! Sucesso, beijos

  10. Ola Cris!
    Nao sei como cheguei ao seu blog. Ja escrevi um comentário bem grande numa outra postagem que tinha a ver com morar no brasil/fora com filhos.
    Eu nao te conheco, nao sei que cara voce tem. Mas gosto muito de ler os seus textos. Parabens! Continue escrevendo!!

    Obs: Mudei para Vancouver faz 3 semanas com minha esposa e 2 filhos. Estao aqui indo para a Vancouver Waldorf School. Eu era socio de uma empresa no Brasil, tenho um apartamento de 250m2, morava em Ribeirao Preto, SP desde que nasci, tenho meus Pais e sogra morando na mesma cidade. Vendi minha participacao na empresa, vim fazer um curso de pos em Business para me ajudar na mudanca da minha vida profissional.
    Viver aqui ta sendo fantastico. Espero conseguir ficar por aqui por alguns anos.

  11. Coisas boas acontecem para aqueles que disseminam o bem. E, sem dúvida, vc é uma dessas pessoas, Cris.
    Quantas vezes me senti amparada por suas palavras, em meio ao turbilhão de emoções que ser mãe, esposa, filha e profissional nos impõe!
    Observando o seu modo de ver (e viver) a vida, reforcei minha crença de que a beleza está na simplicidade, na diferença, na empatia, no humano. Vc não imagina como é bom poder ler seus textos! A identificação de pensamentos é algo realmente fascinante, não? O texto de hoje, então, caiu como uma luva. Quanto medo já enfrentei e ainda enfrento diariamente!
    Estou muito feliz com essa notícia e por essa conquista sua! Já coloquei na agenda a data do lançamento do livro. Faço questão de prestigiar esse capítulo da sua história que, indiretamente, todos nós, leitores virtuais, contribuímos para acontecer. Parabéns!

  12. Adoro seus textos, não comento por falta de tempo, ou de saber expressar em palavras o que sinto. Não era boa nisso, venho me transformando e mudando isso aos poucos.

    Me redescobri na maternidade! Evolui.
    Descobri seu blog através do texto sobre pq vcs não tinham tv em casa, antes mesmo de ser mãe. E hoje diminuímos muito a tv na nossa casa, coisa impensável antes.

    Obrigado por estar sempre por perto, no meu caminho de maternagem (sempre abria com alegria e gratidão seus e-mails, quase a mesma sensação de receber cartas queridas pelo correio), vou esperar o livro com o mesmo sentimento! Bj

  13. Parabéns Cris! Tenha muito sucesso! O blog tem a mesma idade do meu filho, 4 anos, e foi a dificuldade de entender a maternidade que me fez chegar até seus textos e suas palavras me ajudaram muito. No meio dessa mesma solidão que você descreveu, procurava conforto, uma luz. Acho que li todos os textos nesses anos, não perdi nenhum. O que me marcou pra toda a vida foi a carta que você escreveu para seu filho João. Obrigada por tudo, beijos!

  14. Parabéns!!
    Que bom que seu melhor conseguiu calar essas vozinhas que muitas vezes nos atrasam ou até mesmo nos travam. Que você nunca subestime, ache pouco o que pode fazer apenas por 1 de nos. Realmente seus textos são inspiradores e transformadores numa dimensão imensurável, porque uma mulher compreendida, segura e mais humana transforma uma família, sua comunidade e muitas relações. Sou uma delas e uma parte de mim deve a você esse mérito. Sucesso e que Deus continue te abençoando com muita sabedoria e boa sorte! Bjs

  15. Que noticia mais linda de encher os olhos e coração. Sempre acompanhei os textos na faculdade, agora com a minha primeira turma continuo a leitura. Feliz pelo livro! Ansiosa para comprar. Sucesso sempre a você e sua família Cris! Um grande abraço

  16. Querida Cris, fiquei muuuuito feliz por vc, pela sua felicidade e conquista. Os seus textos aqui (incluindo os da Fabi) ja’ me ajudaram muito, e vcs duas tambem foram umas fofas quando precisei perguntar alguma coisa. Amei mesmo a ideia do livro. E parabens pela coragem. Coragem. Que palavra linda. Obrigda tambem por compartilhar o texto do Steiner. Lindo. Continue seguindo seu coracao Cris. Vc esta’ no caminho certo. Um abraco e obrigada. Manuela

  17. Que notícia boa!!! Seus textos são maravilhosos, sinto que tenho em você uma amiga que sempre vai ter a palavra, o conselho que preciso! E além de sempre me fazer chorar de emoção no final de cada post… rsrs. São Incentivos, lições para a vida, não apenas para a maternidade.

    Obrigado por estar sempre por perto! Estarei esperando o livro ansiosamente! Um bjo e todo sucesso deste mundo pra você!

    Responder

  18. Cris, fico muito feliz com essa notícia. Acompanho seu blog há bastante tempo e amo ler e reler seus textos. Hoje minha filha estuda em uma escola Waldorf graças à tudo que vc escreve aqui. Minha curiosidade sobre essa pedagogia nasceu aqui. Eu demorei um pouco para conseguir realizar esse sonho, mas a cada descoberta, sinto que esse é o meu caminho e só encontrei esse caminho graças a vc! Gratidão eterna por isso!! Muita luz, inspiração e realização!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s