Home

“Onde não puderes amar, não te demores.”*

Acho que todo mundo conhece essa frase. Fiquei pensando nela outro dia depois da minha análise. Não preciso abrir aqui o conteúdo, mas o aprendizado que quero dividir é que talvez aquela pessoa – próxima – que você tem muita dificuldade de lidar, é apenas porque você não gosta dela. E tudo bem não gostar de alguém – mesmo que seja próximo, mesmo que seja da sua família. Você pode aceitar, ter empatia pelas ideias, sofrimentos e maneiras do outro, mas não precisa gostar. Só que se não gosta, se essa pessoa na verdade te faz mal, você não precisa demorar.

Estou escrevendo esse texto porque ano passado escrevi um (aqui) sobre a beleza de saber perdoar, de saber ser legal ou tentar de verdade ser legal. Continuo acreditando que essas coisas são muito importantes, mas agora também acho que é importante entender a preciosidade da vida, cada momento pode sim ser vivido você escolhendo o melhor para você.

Estou escrevendo esse texto também porque está tão na moda reclamar, xingar, falar mal de alguém, criticar, sair por aí com grandes desabafos que talvez tenhamos esquecido uma coisa muito simples: foi sua escolha ficar – na mesa, no jantar, na conversa. Ah, mas você precisa ficar algum tempo com esse ser. Tudo bem, mas não demore.

Talvez você não consiga mudar a maneira pejorativa com que algumas pessoas te enxergam. Tudo bem, não demore com elas.

Talvez você não consiga fazer o outro parar de ser tão injusto, ou tão egoísta. Tudo bem, mas não demore aí.

Quando você para de demorar nesses lugares de incômodo, de sofrimento, sobra mais espaço para aquelas coisas e pessoas que te fazem bem.

No fundo, não é sobre quem está certo. Ou sobre viver cercado apenas daqueles que pensam como você. Não. É sobre gostar de você mais do que gostar de estar certo.

Como disse Freud: “Em última análise, precisamos amar para não adoecer.” Então, onde não puderes amar, não te demores.

Tudo bem não gostar de alguém. E para dar uma outra pérola de Freud: “Antes de diagnosticar a si mesmo com depressão ou baixa auto-estima, primeiro tenha certeza de que você não está, na verdade, cercado de idiotas.”

Desejando um ano novo cheio de encontros enriquecedores.

Desejando um caminho cheio de luz e de um tanto bem bom de amor,

Cris Leão

Foto: Kendra Smoot

Ps: Tô sumida daqui mas é por falta de tempo. Não por falta de vontade. Este texto eu comecei a escrever no dia 21/12 e só consegui terminar hoje. Já tem outros na caixola. Fiquem por perto. ; )

 

 

 

*Autoria da Frida Kahlo ou atriz italiana Eleonora Duse. Não tenho certeza, nem o Google.

9 pensamentos em “Como ser legal – com você

  1. Que saudade de voce! Que otimo que voltou!!!!! Sempre tão proxima a meus pensamentos… acho tuas palavras, minhas

  2. Gosto muito dos seus textos. Esse texto me fez lembrar q as coisas nao sao por acaso, sempre temos algo a aprender c as pessoas, mesmo q elas nos desagradem, pois elas nos trazem uma mensagem. Entao, as vezes e legal tentar perceber porque essa pessoa nos traz tanto incomodo. Pode ate ser p nao sermos como ela. Obrigada pelas suas reflexoes. gde bjo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s